Free songs

Quero ter um filho. E agora?

Atualmente, as mulheres estão cada vez mais ocupadas com o trabalho, e, em razão disso, adiam o momento da concepção, sobretudo nas classes sociais mais favorecidas. Quando então o alarme da maternidade começa a soar, as mulheres procuram seus ginecologistas em busca de orientação.

horoscopooracaomaenenegettyE aí, algumas dúvidas são muito comuns, por exemplo: qual a idade limite para engravidar, se o uso por tempo prolongado do anticoncepcional oral pode acarretar dificuldades, se é necessário usar vitaminas ou fazer algum tipo de tratamento específico, quanto tempo é normal aguardar até obter sucesso na concepção? Assim, gostaria de compartilhar algumas orientações importantes aguardando, desde já, a participação de vocês com outras dúvidas e suas experiências. Sabemos que as mulheres nascem com um número enorme de óvulos em seus ovários, e, a cada ciclo menstrual, alguns são descartados através da ovulação. Com o passar do tempo, os óvulos vão ficando mais fragilizados e menos capazes de produzir uma ovulação satisfatória.

A partir dos 35 anos, acontece uma piora da qualidade desses óvulos, naturalmente gerando dificuldade para engravidar, que se acentua bastante acima dos 40 anos, embora não seja impossível. Da mesma forma que os óvulos ficam mais antigos, o organismo da mulher também passa por mudanças com o avanço da idade, de forma que a gravidez pode oferecer maiores riscos e complicações como: hipertensão gestacional, diabetes gestacional, pré-eclâmpsia (é a elevação da pressão arterial no final da gestação), entre outras. Assim, as mulheres acima dos 40 anos que pretendem ter filhos devem ser acompanhadas ainda mais de perto pelos seus obstetras. Antes de tudo, quando decidimos pela concepção, precisamos suspender o uso do anticoncepcional oral, se for o caso. Mas é bom lembrar que não existe prazo entre a suspensão e o sucesso da gestação, que pode ocorrer, inclusive, no primeiro mês após a pausa. Por outro lado, segundo as pesquisas, não há nenhuma relação entre dificuldade para engravidar e o uso anterior de anticoncepcionais orais; então, não se preocupem com isso. É ideal também que toda mulher faça uso do ácido fólico antes da concepção, e igualmente no início do pré-natal.

Algumas más- formações podem ser evitadas com uso dessa simples medicação. Isto porque o ácido fólico é de vital importância durante o desenvolvimento do tubo neural do seu bebê, estrutura essa que dará origem ao cérebro e à medula espinhal, sendo que qualquer erro de formação pode gerar complicações graves. Portanto, peça orientação do seu ginecologista para iniciar o uso do ácido fólico sempre que pensar em engravidar, ou logo após descobrir a gravidez.É importante ainda sabermos identificar o nosso período fértil e estarmos habituadas com o nosso ciclo menstrual. Normalmente, as mulheres possuem um ciclo menstrual de 28 dias, sendo que o período fértil está compreendido entre três dias antes e mais três dias depois da ovulação. Vale lembrar que o primeiro dia de sangramento é considerado o primeiro dia do ciclo, e a ovulação ocorre no 14º dia. Se você quiser engravidar, é na fase fértil do ciclo em que devem ser intensificadas as suas tentativas. Se, por acaso, sua menstruação for irregular – o que é comum –, procure o ginecologista para que ele lhe auxilie a identificar o seu período fértil. O prazo razoável para tentativas até que um casal  consiga ter filhos é de um ano. Passado esse tempo, é recomendável a procura de auxílio para realizar algumas pesquisas sobre a infertilidade conjugal. E aí, vale uma dica: não podemos deixar de investigar desde o início a fertilidade do parceiro, pois ele tem 50% de participação. É muito comum deixar para investigar o parceiro num segundo momento, e aí você pode estar perdendo tempo com um problema que não existe. Verificando a dificuldade para engravidar, não desanime! Converse com o seu ginecologista e, se necessário, ele te encaminhará para uma das clínicas especializadas que oferecem inúmeras possibilidades de tratamentos. Então, se chegou a hora, boa sorte nas suas tentativas! E não deixe de visitar regularmente o seu ginecologista!

Voltar ao topo